Voltar à página inicial

Voltar ao menu de Poemas Góticos

CORPO E ALMA


Tenho alma profunda, que veste seda branca
E manto negro às escuras.
Alma desnuda, o lado avesso da carapuça,
De aureola dourada e face dupla...
O inverso que me condena e a luz me que puxa.

Tenho alma nula...
No desfecho de cada passo
Cruzo os braços e fica muda,
Paraliso o meu olhar, grito e fico surda

Alma da pureza, corpo da luxúria,
Com esplendor do arco de ouro
E como o ferro que se enferruja.

Alma de anjo
Corpo de injúria
Alma em carne e osso
Neste corpo se mistura.

Alma limpa...
Carne suja...
Presa ao cordão de prata
Aguardando a sua fuga.

Leni Martins


Envie este poema!  

Voltar ao menu de Poemas Góticos


Voltar a página Inicial

PageRank

 

















 

 





 

Nocopy total

Clique com o botal direito e tecle alguma letra !!

Obs.: Desabilita tecla e mouse.

 


http://www.felipewd.kit.net/