Voltar à página inicial

Voltar ao menu de Poemas Góticos

Entre a cruz e a espada


Cruz em meu peito,
Espada em minha mão,
adiante uma luta
contra a desilusão.

Entre a cruz e a espada
existe um vão,
unindo as duas
haverá a coragem e a razão.

Esta cruz em meu peito
livra-me da escuridão,
do medo que me apavora,
faz-me acreditar que ainda
existe um fio de esperança
nesta âncora que me ancora.

De espada na mão ,
sem forças para lutar,
carregada e cravejada
de angústia, faz-me
repensar.

É no vão desta espada, que a cruz
domina minha decisão.

Cruz no meu peito,
espada na minha mão,
falta-me coragem
doe-me o coração...
nas incertezas do porvir
ficarei neste vão.

Com a espada cravada
em meu peito
e a cruz na mão.

Leni Martins

Envie este poema!  

Voltar ao menu de Poemas Góticos

Voltar a página Inicial


PageRank

 



 















 

 





 

Nocopy total

Clique com o botal direito e tecle alguma letra !!

Obs.: Desabilita tecla e mouse.

 


http://www.felipewd.kit.net/